Blog / Malha Fina: ainda dá tempo de fugir dela



O terceiro lote de restituição do Imposto de Renda já começou a ser pago, mas muitos brasileiros ainda têm dúvida se receberão algum valor ou se suas declarações serão retidas na malha fina. Para não ter dor de cabeça e ficar com essa dúvida até o final do ano, o ideal é ir acompanhando o status de processamento da declaração no site da Receita Federal, como aconselha o vice-presidente operacional do Conselho Regional de Contabilidade do Estado do Rio de Janeiro (CRCRJ), Samir Nehme.

“A Receita dá ao contribuinte a chance de retificar a declaração quando é identificada alguma irregularidade e ela vai para análise. O acompanhamento, pelo site da Receita, serve para que se corrijam os erros antes dela cair na Malha Fina. O ideal nestes casos é procurar a ajuda de um profissional da contabilidade”, explica Samir, que complementa: “Se a declaração não tiver caído em análise, ela vai aparecer no site na fila de restituição ou já processada”, esclarece o contador.

A malha fina ainda assusta os contribuintes; mas parece que os brasileiros têm andando mais na linha. No ano passado, apenas 2,61% do total de 29.542.894 declarações foram fisgadas pelo Leão. Este ano, a Receita recebeu 28.524.560 declarações até 28 de abril, prazo para entrega, mas só irá divulgar o número de declarações retidas em dezembro. A oportunidade de poder corrigir a declaração de rendimentos tem sido uma importante ferramenta para evitar que mais pessoas fiquem na mira do fisco.

A declaração retificadora (Declaração de Ajuste Anual – DAA) substitui integralmente a declaração anterior e pode ser enviada em um prazo de cinco anos, pelo programa de transmissão “Receitanet” ou por meio do serviço “Retificação on-line”. Ela deve conter todas as informações anteriormente declaradas, junto com as alterações e exclusões necessárias, assim como possíveis informações adicionais.

“Este ano, a Receita Federal ampliou a fiscalização das declarações do Imposto de Renda, inclusive chegando até às declarações dos últimos cinco anos, como a legislação permite. Com a falta de recursos do Governo Federal, há uma mudança de postura. E muita gente está procurando profissionais da contabilidade para fazer a declaração retificadora. Imagine as pessoas físicas que fazem sua declaração sozinhas, de qualquer forma, no último dia do prazo e sem acompanhamento, o risco que estão correndo”, diz o representante do CRCRJ.

De setembro a dezembro, a Receita Federal ainda vai liberar mais quatro lotes de restituição. Os contribuintes que enviaram suas declarações de última hora só devem receber no último lote, porém a consulta aos lotes costuma ser liberada uma semana antes das datas de depósito. O resgate pode ser feito no banco em até um ano após a liberação. Após esse prazo, a retirada só será possível por meio de um formulário na internet.

Fonte: Assessoria CRCRJ

Newsletter