Blog / Mais de 650 mil empresas do Simples Nacional devem usar Certificado Digital.



Desde o final de 2015, as empresas que se enquadram no Simples Nacional estão se adequando às novas regras para a entrega da GFIP e do eSocial, que deve ser feita por meio do Certificado Digital. Até o momento, as companhias com mais 10, 8 e 5 funcionários já se adequaram, e a partir de 1 janeiro de 2017 será a vez das empresas com mais de 3 funcionários. De acordo com um levantamento do Comitê Gestor do Simples Nacional, mais de 657 mil empresas em todo o País serão impactadas pela mudança que acontecerá em menos de um mês.

“É preciso deixar claro que o Certificado Digital tem muito mais utilidades do que apenas a entrega destas obrigações”, é o que explica Leonardo Gonçalves, diretor de Canais e Varejo da Certisign. De acordo com o executivo, com um Certificado Digital válido é possível, por exemplo, assinar documentos com validade jurídica, sem caneta e papel.

De acordo com o diretor-executivo da Associação Nacional de Certificação Digital (ANCD), Antonio Sérgio Cangiano, o Certificado facilitará e proporcionará às micro e pequenas empresas a realização de inúmeros serviços em ambiente digital, com redução de custos com deslocamentos, mensageiros e espaço físico para a guarda de documentos.

Por que o Certificado Digital é exigido no Simples Nacional?

O Certificado Digital é um documento de identificação de empresas e de pessoas físicas no meio eletrônico, por isso é exigido cada vez mais na comunicação com os órgãos com o governo e está sendo adotado por empresas de todos os portes para a migração de processos físicos ao eletrônico. Ele garante a autenticidade das informações e segurança nos processos.

Atualmente, segundo a ANCD, o Brasil possui mais de 7 milhões de Certificados Digitais ativos.

Corrida contra o tempo

Faltam poucos dias para a medida começar a valer e, por isso, o empregador precisa correr. Na hora de escolher a Autoridade Certificadora, é preciso levar em consideração os preços e a capilaridade, pois o processo de aquisição inclui a solicitação via internet e a posterior apresentação da documentação em um local de atendimento.

A Certisign, por exemplo, oferece o Certificado e-CNPJ feito exclusivamente para empresas de micro e pequeno porte – ME/EPP, de 18 meses, a R$219 e, ainda, garante o mesmo preço na renovação e o dobro da validade. Ou seja: o cliente paga para renovar um Certificado de 18 meses, mas leva um de 36. Além disso, a Certisign possui mais de 1.800 Pontos de Atendimento em todo Brasil. Aproveite aqui.

Vale lembrar que o Certificado pode ser usado em outras aplicações, como emissão de Nota Fiscal Eletrônica, assinatura digital de documentos e acesso ao internet banking. Ou seja: é um investimento.

Fonte: Certisign

Newsletter